Resenha: Mil Pedaços de Você – Claudia Gray

Confesso que comprei este livro pela capa, que eu achei maravilhosa. E passou a fazer parte da minha meta deste ano, pois acabou ficando parado na estante em meio há tantos livros que quero ler, ou precisava.

Definindo em uma palavra: Criativo

“Cada dimensão representa um conjunto de possibilidades. Basicamente, tudo o que pode acontecer, de fato acontece.”

Mil Pedaços de Você é o primeiro volume da trilogia Firebird. Marguerite Caine é uma artista que cresceu em meio a formulas e teorias fantásticas da física, filha de dois cientistas incríveis que desenvolveram o Firebirb, um equipamento que permite viajar por outras dimensões. Com a ajuda de Théo, ela embarca em uma aventura interdimensional para matar Paul Markov, o assassino de seu pai.

mil

288 páginas

A narrativa do livro é muito gostosa de ler, fácil e divertida. O tempo passa despercebido e logo estamos familiarizados com as dimensões, os personagens e torcendo por eles.

“Existem padrões dentro das dimensões – insistiu Paul, sem erguer os olhos do seu trabalho – Parelismos matemáticos. É plausível ter como hipótese que esses padrões de refletirão nos eventos e nas pessoas em cada dimensão. Que aqueles que se encontraram em uma realidade têm maior probabilidade de se encontrarem em outra. Algumas coisas que acontecem vão se repetir muitas vezes, de formas diferentes, só que com mais frequência, de forma que só a mera coincidência não basta para explicar”

Escolhi a palavra Criativo para definir o livro, porque eu achei fantástica e muito criativa a concepção das dimensões. Claro que sabemos da existência de teorias sobre diversas dimensões paralelas, mas conseguir me imaginar em uma Londres futurista, ou uma Rússia czarista, ou até mesmo uma dimensão em que escolhi Matemática e não Letras, é fascinante.

Imagine poder visitar estas dimensões, estes mundos diferentes. Uma dimensão onde a Alemanha ganhou a segunda guerra? Ou os Beatles não existiram? Ou que Jane Austen não tenha escrito nenhum de seus livros? Ou que o Brasil não tivesse sido colonizado por Portugal?

“- Toda forma de arte é outra maneira de ver o mundo. Uma nova perspectiva, uma nova janela. E a ciência…É a janela mais espetacular de todas. Dá para ver o universo inteiro através dela (…) Então, é como se tivéssemos dado para o outro o mundo inteiro de presente, embrulhado com fita”

Até mesmo de coisas simples sobre si mesmo, como ter escolhido uma faculdade diferente; ou a blusa verde em vez da rosa na loja. Qualquer coisa que você puder imaginar, existe uma dimensão em que isto é real.

Um livro divertido e gostoso de ler, eu o li em apenas um dia. Daqueles para ler no final de semana, ou quando você está com uma ressaca literária, ou acabou um livro denso, pegue algo leve e gostoso para ler e índico este. Ansiosa para ler a sequência Dez Mil Céus sobre Você.

Boa Leitura!

Taís Caires

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s