Resenha: A Garota no Trem -Paula Hawkins

Este é o livro indicado pela C.S para leitura no Clube do Livro que participo com amigos aqui na cidade. Esse pessoal só indica livro bom!

Uma palavra para descrever o livro: Observação!

A garota no trem é um livro ótimo, todo amarradinho, adorei.

Raquel é uma mulher que viaja de trem de Ashbury para Londres todos os dias, e no caminho o trem para em um sinal vermelho e nesse ponto Raquel observa a vida de um jovem casal que mora na casa de numero 15. E observando este casal Jess e Jason como ela os chama carinhosamente, ela descreve a vida que ela imagina que eles tem. Até que vê uma cena chocante, e no dia seguinte descobre que Jess na verdade é Megan e está desaparecida, e Scoot (Jason) é o principal suspeito.

“Acho que todo mundo faz isso – olha as casas enquanto passa – só que cada um as vê de uma forma diferente!”

O livro é contato na visão de três personagens, Raquel a observadora do trem, Anna que é a atual esposa do ex marido de Raquel e Megan a garota desaparecida. A unica delas que eu não gostei foi da Anna, uma personagem extremamente egoísta e mesquinha.

A-Garota-do-Trem-Livro.jpg

A Garota no Trem – Paula Hawkins – 378 páginas

Raquel ao ler sobre o desaparecimento de Megan (Jess) ela não consegue ficar alheia a situação pois foi vista na região na noite do desaparecimento e por ter visto algo. A polícia não dá muito crédito ao seu testemunho, visto que Raquel é alcoólatra. Mas ainda assim ela se envolve com a vida de todos, afinal ela morou naquela rua, mas no numero 23. E também porque Raquel tem lapsos de memória, devido ao alcoolismo, ela simplesmente não consegue lembrar o que aconteceu naquela noite.

“Há rostos familiares nesses trens, gente que vejo toda semana, nas viagens de ida e volta. Eu reconheço essas pessoas e elas provavelmente me reconhecem também. Mas não sei se me veem como sou de verdade.”

Eu adorei a história, desconfiei de quase todos os personagens e quando estava por volta de 65% (Eu leio no Kindle) eu tive certeza de quem era o culpado. A história é toda amarrada, com o passar dos capítulos você vai conhecendo melhor cada personagem e entendendo seus motivos para esta ou aquela atitude. E o que o levou até aquele ponto.

Eu imaginei que ficaria lendo freneticamente sem parar até o fim, mas apesar de todas as reviravoltas do livro, eu li de maneira tranquila, apesar de ter lido em quatro dias, mas eu não sentia ânsia em ler urgentemente.

“De vazio, eu entendo. Começo a achar que não há nada a se fazer para preenchê-lo. Foi o que percebi com as sessões de terapia: os buracos na sua vida são permanentes. É preciso crescer ao redor deles, como raízes de árvore ao redor do concreto; você se molda a partir das lacunas. Sei de tudo isso, mas não digo em voz alta, não agora.”

As personagens são bem construídas, é fácil de compreender as mesmas. Muito bem escrito, a leitura é tranquila e ao mesmo tempo eletrizante porque você quer saber logo o que vai acontecer, e se suas suspeitas estão corretas.

Apesar de eu ter certeza de quem era o culpado e ter acertado, o final é surpreendente e gostei muito do desenrolar da história, de como uma coisa estava ligada a outra.

“Onde fui extremamente feliz e desesperadamente infeliz.”

Este livro será adaptado para o cinema, e o filme tem estréia prevista para novembro deste ano. Observando o trailer parece eletrizante, daqueles que você não consegue tirar os olhos da tela. Espero que seja tão bom quanto o livro, estou ansiosa!

Boa Leitura!

Taís Caires

 

 

 

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s