Resenha: Mundo de Tinta – Cornélia Funke

Três livros. Três palavras: Fantasia (de) Amor (aos) Livros!

Quem nunca leu um livro e desejou que o seu personagem favorito, saísse do livro e se tronasse real? Quem nunca desejou em entrar dentro do livro, morar dentro do seu livro favorito? Quem nunca se identificou tanto com um personagem, sentindo e agindo exatamente igual?

“Um leitor não vê realmente os personagens de uma história. Ele os sente.”

Leitor que nunca sentiu ou desejou qualquer dessas três coisas, pode parar de ler esta resenha, porque…

livros mundo de tinta 2

Trilogia Munda de Tinta – Cornélia Funke

Tudo isso acontece no Mundo de Tinta!

Em Coração de Tinta que é o primeiro livro da série, Meggie não entende porque seu pai não lê em voz alta, e este segredo é revelado quando Dedo Empoeirado aparece na janela de sua casa, procurando por Mo. A razão é que Mo tem uma língua encantada, que ao ler em voz alta traz vida as palavras. E em uma noite trágica, quando Meggie ainda era um bebê, Mo lia em voz alta e de repente três persongens do livro surgem em sua sala: Capricórnio, Basta e Dedo Empoeirado. E com eles somem para dentro do livro a mãe de Meggie e dois gatos.

“Quando você leva um livro numa viagem”, dissera Mo quando ela pôs o primeiro no baú, “acontece uma coisa estranha: o livro começa a colecionar lembranças. Depois basta abri-lo, e você já está de novo no lugar onde o leu. Tudo volta, já nas primeiras palavras: as imagens, os cheiros, o sorvete que você tomou enquanto lia… Acredite, os livros são como papel pega-moscas. Não existe nada melhor para grudar lembranças do que páginas impressas.”

Nesse primeiro livro nos deparamos com os nossos personagens favoritos entre nós, vivendo em nosso mundo. Com suas características e personalidades, se adaptando a este mundo ou desejando voltar para o próprio mundo.

“Quando você abre o livro, é como num teatro: ali está a cortina. Você a arrasta para o lado, e a apresentação começa.”

No segundo volume da série Sangue de Tinta, Meggie da um jeito de entrar no livro Coração de Tinta e se encantar com o mundo criado por Fenoglio, o velho autor do livro de onde sairam os personagens, e Meggie nesta aventura tem o prazer de conhecer as maravilhas e os sofrimentos deste mundo.

E como segunda parte da fantasia de todo leitor é viver dentro de um livro, e desvendar ainda mais os seus mistérios que parecem impossíveis de existir apenas entre as páginas, e ser feito de papel e tinta.

mundo de tinta livros

Mundo de Tinta – Cornélia Funke

“Existia então apenas um mundo que sonhava com outros mundos?”

São tão fascinantes os mundos que encontramos entre as páginas de um livro, mundos que nos encantam e os personagens são tão cativantes e os sentimos tão próximos de nós. É quase loucura pensar que tal mundo que sentimos como se fosse o nosso, como se fosse a nossa casa não seja real. Ou que aquele personagem maravilhoso que me entende melhor que eu mesmo, ou aquele que é o amor da minha vida, viva entre as páginas de um livro.

“As histórias nunca têm fim, Meggie”, ele lhe dissera uma vez, “embora os livros gostem de nos enganar a esse respeito. As histórias sempre continuam, não terminam com a última frase, assim como não começam com a primeira.”

No terceiro volume da série Morte de Tinta, ainda dentro do livro, os personagens que já te ganharam a esta altura da série, tem de enfrentar o maior dos vilões, além de resolver pequenos assuntos. E nesta terceira parte temos o que mais acontece entre os leitores, e eu me incluo, identificar-se com um personagem e sentir o que ele sente, pensar o que ele pensa.

“Você também não acha que de tempos em tempos deveríamos ler histórias nas quais tudo fosse muito diferente do nosso mundo? Nada nos ensina melhor a questionar-nos por que as árvores são verdes e não vermelhas ou por que temos cinco e não seis dedos”.

Os personagens me cativaram, Dedo Empoeirado é alma dos livros, adorei Violante a filha do grande vilão Cabeça de Víbora, gostei muito de Doria que roubou o coração de Meggie, e Fenoglio o autor do livro, que se sente orgulhoso e com raiva do mundo que criou, um mundo com fadas, elfos de fogo, ninfas e homens de vidro e vilões que são a encarnação do mal de tão terríveis.

A narrativa dos livros é calma e lenta, como se alguém tivesse te contando um história, com diversos momentos emocionantes, e com pausas longas. São livros para serem lidos sem pressa, viajando e se encantando pelo Mundo de Tinta.

“Não é possível ler de verdade um livro sem estar só. Mas é justamente por causa dessa solidão que acabamos nos relacionando intimamente com pessoas que talvez jamais houvéssemos conhecido, seja porque estão mortas há séculos, ou porque falam idiomas que você não entende. Porém, elas se transformam nos teus mais íntimos amigos, nos teus mais sábios conselheiros, nos magos que te hipnotizam, nas amantes com quem você sempre sonhou.”

Como disse no começo, três palavras definem estes livros e para quem leu, sabe a grande importância de três palavras no último livro.

Fantasia (de) Amor (aos) Livros!

Uma fantasia que imagina e descreve todas as fantasias de um leitor, que ama ler e ama as palavras, que estão em um livro, que estão entre as páginas, que ama todos os mundos feitos de papel e tinta.

Nota: 4,4/5

Taís Caires

 

 

Anúncios

2 comentários sobre “Resenha: Mundo de Tinta – Cornélia Funke

  1. Dani disse:

    Mais do que antes, agora preciso ler esses livros. Apesar de não ler muito fantasia, tanto quanto gostaria, acho que vai ser já viagem deliciosa.
    Resenha linda, como sempre bem explicada e dá um gostinho de quero mais. 💜

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s