Resenha: Anna e o Beijo Francês – Stephanie Perkins

Sabe aqueles livros que você lê e consegue imaginar cada cena do livro, como se estivesse assistindo um filme de sessão da tarde? Anna e o Beijo Francês!

Uma palavra para definir o livro: Ahh! (um suspiro)

Sinopse

Anna Oliphant tem grandes planos para seu último ano em Atlanta: sair com sua melhor amiga, Bridgette, e flertar com seus colegas no Midtown Royal 14 multiplex. Então ela não fica muito feliz quando o pai a envia para um internato em Paris. No entanto, as coisas co

IMG_20160614_144404.jpg

Anna e o Beijo Francês – Stephanie Perkis – 286 páginas

meçam a melhorar quando ela conhece Étienne St. Clair, um lindo garoto — que tem namorada. Ele e Anna se tornam amigos próximos e as coisas ficam infinitamente mais complicadas. Anna vai conseguir um beijo francês? Ou algumas coisas não estão destinadas a acontecer?

Em primeiro momento deixe me expressar minha raiva: Como alguém pode não querer ir para Paris? (um dos meus sonhos)

Anna é forçada por seu pai, um escritor famoso de romances dramáticos, a mudar-se para Paris para estudar em um colégio renomado. E o que Anna acreditava ser o fim do meu mundo, tornou se uma experiência apaixonante.

A narrativa é divertida, a descrição te deixa com a sensação de estar ao lado de Anna caminhando pelas ruas de Paris, ou na fila para o almoço no colégio, ou em suas aulas. Um grupo de amigos cativantes e um garoto especial. John, Mer, Rashimi e St. Clair. A relação de Anna e St. Clair é especial, o amor entre eles floresce ao virar das páginas.

Algo que eu adorei foi a brincadeira entre Anna e Brigette com seus nomes e presentes. Anna Oliphant ganha Banana e Elefantes de sua amiga Brigette a quem presenteia com pontes. O livro todo é recheado dessas piadas divertidas.

“Ele me empurra para trás e nós estamos deitados, nos agarrando em frente das crianças com seus balões vermelhos e velhos com seus jogos de xadrez e dos turistas com seus mapas laminados e eu não ligo, eu não ligo para nada disso. Tudo o que eu quero é o Étienne. O peso do corpo dele em cima do meu é extraordinário. Eu sinto-o — todo ele — pressionado contra mim, e eu sinto o cheiro do seu creme de barbear, o seu xampu, e o cheiro extra que é somente… ele. O cheiro mais delicioso que eu poderia imaginar. Eu quero respirar ele, lambê-lo, comê-lo, bebê-lo. Os lábios dele têm gosto de mel. O seu rosto tem um leve sinal de barba e esfrega minha pele, mas eu não me importo, eu não me importo nem um pouco. A sensação dele é incrível. Suas mãos estão em todo lugar, e não importa que a boca dele já esteja na minha, eu o quero mais perto, mais perto, mais perto.”

Outra coisa que eu adorei no livro, foi o sentido que ela forneceu a casa para os personagens, de que casa não é um lugar, mas sim uma pessoa. Ou seja, não importa o lugar em que estejamos, desde que ao nosso lado esteja a pessoa que amamos, estamos em casa. E é simplesmente assim, que nos sentimos quando amamos alguém e estamos ao seu lado, nos sentimos em casa, porque não existe lugar melhor para se estar que ao lado de quem amamos.

“Porque eu estava certa. Para nós dois, casa não é um lugar. É uma pessoa. E nós finalmente estamos em casa.”

Uma leitura divertida e apaixonante.

Nota: 4,3/5

Boa Leitura!

Taís Caires

Anúncios

2 comentários sobre “Resenha: Anna e o Beijo Francês – Stephanie Perkins

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s